quarta-feira, 28 de março de 2012

FUNÇÃO SINTÁTICA DOS PRONOMES RELATIVOS




FUNÇÃO SINTÁTICA DOS PRONOMES RELATIVOS


As orações subordinadas ADJETIVAS são introduzidas por um pronome relativo que se refere a um antecedente da oração principal. Esse  pronome relativo desempenha a mesma  função sintática do seu antecedente . Exemplo:
·         sujeito:
Eu me refiro às coisas [que vão de mal a pior.]
O pronome relativo substitui coisas, sendo o sujeito de "vão de mal a pior" 

O homem [que trabalha] acumula riquezas.
(o pronome relativo que substitui homem – o homem trabalha. Se homem é sujeito,  o pronome relativo que também será sujeito) 

·         objeto direto:
Os livros  [que li] me enriqueceram muito.
(que substitui os livros –  li os livros. Se livros é objeto direto,  o pronome relativo que também é objeto direto.) 

·         objeto indireto:
As pessoas [de quem gostamos] compareceram à festa.
(quem substitui as pessoas – gostamos das pessoas – das pessoas é objeto indireto, logo o pronome relativo  que também é objeto indireto)  

·         predicativo do sujeito:
O aluno dedicado, [que ele sempre foi,] hoje está recebendo sua devida recompensa.
(que substitui o aluno dedicado – ele sempre foi  o aluno dedicado  – o aluno dedicado é  predicativo do 
sujeito, logo  o pronome relativo que também é predicativo do sujeito)

·         predicativo do objeto:
Ele não é mais o homem honesto [que todos  julgavam  até o ano passado].
(que substitui o homem honesto – todos o julgavam  honesto – o homem é objeto direto e honesto é predicativo do objeto, logo  o pronome relativo que também é predicativo do objeto) 

 ·         complemento nominal:
O ator [a que fizeram referência] foi premiado.
(que substitui o ator – fizeram referência ao ator que é complemento nominal de referência, logo, o pronome relativo que é complemento nominal) 

  ·         adjunto adnominal:
O garoto [cujo pai é delegado] deverá seguir a carreira do pai. ( cujo pai= pai do garoto)

(cujo substitui o garoto – o pai do garoto é delegado – se  do garoto é adjunto adnominal, logo  o pronome relativo cujo também é adjunto adnominal.)

   ·         agente da passiva:
O médico [por quem fui atendida] deixou-me bem à vontade.
(quem substitui o médico –  fui atendida pelo médico. Se médico é agente da passiva , o pronome relativo  quem também é agente da passiva) 

·      adjunto adverbial:
A cidade [onde] é bastante tranquila.
onde substitui a cidade – moro na cidade =  adjunto adverbial de lugar , logo o pronome relativo onde também é adjunto  adjunto adverbial)

EXERCÍCIOS


A palavra ”Que” é pronome relativo nas frases que seguem. Dê a sua função sintática:

1) Esta é a casa em que nasci.  ______________________________

2) A informação de que mais gostei foi aquela:______________________________

3) Há sempre solidão em torno dos que caem:______________________________

4) Tudo o que vem do acaso carece de firmeza  ______________________________

5) Ninguém pode ter tudo aquilo que deseja: ______________________________

6) Eu fui o que tu és, tu serás o que eu sou: ________________________________

7) “É teu amigo aquele que na ocasião do perigo te ajuda”____________________________

8) A demora excita sempre os que amam: ______________________________

9) O conto a que fazes referências não é tão importante assim: _______________________

10) Ela me fez uma pergunta a que- não poderia responder: ______________________________

11) O animal de que mais tenho medo é o urso:______________________________


12) De que conversaremos hoje? ______________________________ 

GABARITO AQUI

terça-feira, 27 de março de 2012

PROVA DA POLÍCIA MILITAR 2010

 PROVA POLÍCIA MILITAR – 2010
LÍNGUA PORTUGUESA


1. Uma semana comendo almôndegas. Daqui ______  pouco sinto que elas vão começar ______ falar comigo.
Os espaços devem ser preenchidos, correta e respectivamente, com
(A) à ... a
(B) há ... há
(C) à ... à
(D) a ... a
(E) há ... à


As questões de números 02 a 07 baseiam-se no texto.

Presidente filipina nomeia manicure para posto-chave

A presidente filipina Gloria Arroyo designou a própria manicure para um cargo bem remunerado em uma agência governamental de Habitação, uma decisão criticada pelo candidato favorito às eleições presidenciais por considerá-la própria de uma política do "clientelismo".
Anita Carpon, manicure da presidente Arroyo e considerada estilista, foi nomeada no conselho de administração de uma agência responsável por financiar as casas dos funcionários, anunciou Gary Olivar, porta-voz da presidência.
Ela receberá um salário mensal equivalente a 2900 dólares, o dobro do que recebe a presidente Arroyo, segundo a imprensa.
A nomeação foi muito criticada pelo candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio, Benigno Aquino, filho da ex-presidente Corazón Aquino.
"Acentua a cultura do clientelismo político no país ao nomear as pessoas que são leais para postos delicados sem preocupação com a qualificação", disse Butch Abad, diretor da campanha de Aquino.
(Gazeta do Povo, 22.04.2010)

02. De acordo com o texto, criticou-se a nomeação da manicure da presidente Gloria Arroyo para um cargo bem remunerado em uma agência governamental porque
(A) não ficou evidente que a nomeada seja fiel à presidente.
(B) o salário da nomeada será equivalente ao da presidente.
(C) a nomeada passou a financiar casas para os funcionários.
(D) foi considerada como uma prática de favorecimento.
(E) mostra ser uma atitude legal e necessária ao governo.


03. O antônimo do termo Acentua, em destaque no último parágrafo do texto, é
(A) Reforça.
(B) Revela.
(C) Nega.
(D) Aponta.
(E) Identifica.


04. No contexto em que está inserido, o termo delicados, em destaque no último parágrafo do texto, significa
(A) suaves.
(B) estratégicos.
(C) insignificantes.
(D) inferiores.
(E) carentes.


05. A frase - A nomeação foi muito criticada pelo candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio... - transposta para a voz ativa, assume a seguinte redação:
(A) O candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio muito criticou a nomeação.
(B) Criticou-se muito a nomeação o candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio.
(C) A nomeação tem sido muito criticada pelo candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio.
(D) Tem-se criticado muito a nomeação pelo candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio.
(E) A nomeação fora muito criticada pelo candidato favorito às eleições presidenciais de 10 de maio.


06. Assinale a alternativa correta quanto ao emprego de parônimos.
(A) Para muitos, a nomeação de Anita Carpon infligiu a constituição do país.
(B) Como Benigno Aquino é o favorito às eleições presidenciais de 10 de maio, sua vitória é eminente.
(C) Para os opositores de Gloria Arroyo, é fragrante a nomeação de Carpon por lealdade e não por competência.
(D) O mandado da presidente Gloria Arroyo está chegando ao fim e pode ser que seu opositor vença a eleição.
(E) Gloria Arroyo ratificou sua decisão de manter Anita Carpon no cargo público: ela continua na agência governamental de Habitação.


07. Assinale a alternativa correta quanto ao emprego dos verbos.
(A) A presidente Gloria Arroyo intermedeia negociações para nomear sua manicure.
(B) A nomeação de Anita Carpon incendia discursos dos oposicionistas de Gloria Arroyo.
(C) A oposição de Gloria Arroyo ainda não interviu na nomeação de sua manicure.
(D) Todos acham que, se Gloria Arroyo pôr outro funcionário no governo, haverá reclamação geral.
(E) Benigno Aquino ansia por ganhar as eleições e acabar com o clientelismo.

GABARITO comentado.

domingo, 25 de março de 2012

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - EXERCÍCIOS



INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
Unifesp 2012
Instrução: Leia o texto, para responder às questões de números 01 a 03.
É fácil errar quando uma empresa ou seus dirigentes não têm clareza sobre o que de fato significam as bonitas palavras que estão em suas missões e valores ou em seus relatórios e peças de marketing. Infelizmente, não passa um dia sem vermos claros sintomas de confusão. O que dizer de uma empresa que mal começou a praticar coleta seletiva e já sai por aí se intitulando “sustentável”? Ou da que anuncia sua “responsabilidade social” divulgando em caros anúncios os trocados que doou a uma creche ou campanha de solidariedade? Na melhor das hipóteses, elas não entenderam o significado desses conceitos. Ou, se formos um pouco mais críticos, diremos tratar-se de oportunismo irresponsável, que não só prejudica a imagem da empresa mas — principalmente — mina a credibilidade de algo muito sério e importante. Banaliza conceitos vitais para a humanidade, reduzindo-os a expressões efêmeras, vazias.
(Guia Exame — Sustentabilidade, outubro de 2008.)
01-O texto faz uma crítica ao
A)uso inexpressivo de expressões efêmeras e vazias, o que coíbe a prática do oportunismo irresponsável.
B) trabalho social das empresas, que priorizam ações sociais sem utilizarem um marketing adequado.
C) discurso irresponsável das empresas que, na verdade, destoa das práticas daqueles que o proferem.
D) excesso de discursos sobre sustentabilidade e responsabilidade em empresas engajadas em assuntos de natureza social.
E) uso indiscriminado do marketing na divulgação da responsabilidade social das empresas.
02- Considerando o ponto de vista do autor, a frase — O que dizer de uma empresa que mal começou a praticar coleta seletiva e já sai por aí se intitulando “sustentável”? — deixa evidente que uma empresa
A)pode prescindir do real sentido do termo “sustentável”.
B) já é sustentável, quando começa a fazer coleta seletiva.
C) deve fazer seu marketing desatrelado de sua prática.
D)deve consolidar suas práticas antes de defini-las.
E) começa mal, caso se dedique à coleta seletiva.
03- No contexto, as palavras mina e efêmeras assumem, respectivamente, o sentido de
A) abala e passageiras.                       D) atenua e perenes.
B) reduz e mensuráveis.              E) reforça e duradouras.
C) altera e transitórias.
Unifesp 2012
Texto para as questões de número 04 a 09
04- De acordo com o texto, as autoridades, no que diz respeito às questões de saúde pública em Curitiba,
A) têm uma visão muito mais clara do problema e das ações emergenciais a serem tomadas, o que se deve à experiência vivida no passado com a gripe espanhola.
B) mostram-se pouco familiarizadas com esse tipo de problema, o que pode ser comparado com a negligência vivenciada no passado, ao se tratar da gripe espanhola.
C) têm sido alvo de críticas pelas informações contraditórias que veiculam na mídia, mas agem acertadamente quando se trata das ações efetivas de combate à gripe A.
D) apresentam muita dificuldade para lidar com o problema, uma vez que hoje, assim como no passado, a escassez de recursos impede a tomada de ações eficazes.
E) atuaram de forma mais diligente no passado, havendo, no momento atual, atitudes pouco consistentes face à gravidade do problema representado pela gripe A.
05-O texto deixa claro que o cidadão de hoje
A)não é afetado pelas opiniões contraditórias dos especialistas.
B) consegue diferenciar a gripe comum da gripe A.
C) carece de informações mais claras e pontuais sobre a gripe A.
D) tem informações suficientes para resguardar-se das doenças.
E) age de forma precipitada por qualquer problema de saúde.
06-  O último parágrafo retoma a ideia contida no título do texto, mostrando
A) falta de bom senso das pessoas num momento de crise da saúde, pois gastam inadvertidamente, sem poupar recursos para cuidados médicos.
B) contradição no comportamento das pessoas, pois os alunos não vão à escola, mas acabam lotando os shoppings, onde se expõem à gripe da mesma forma.
C) falta de políticas públicas mais coercitivas, que deveriam proibir a exploração comercial decorrente de um problema de saúde pública.
D) falta de bom senso da população, que não se mobiliza para exigir das autoridades maior empenho e agilidade para eliminar os focos da gripe.
E) contradição nas decisões dos governos, que baixam normas para a população sem levar em consideração os riscos a que se expõe a maioria das pessoas.
07- No primeiro parágrafo do texto, a palavra então
A) indica a causa de uma informação.
B) expressa circunstância de modo.
C) tem valor conclusivo.
D)pode ser substituída por agora.
E) reporta ao sentido de época.
08-No texto, a informação — … nossas autoridades estão permitindo a desinformação e o caos… — é exemplificada por
A)… as autoridades municipais de Curitiba determinaram o fechamento de todas as casas de espetáculos e proibiram aglomerações...
B) … a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo determinou a volta às aulas apenas no dia 17 de agosto…
C) Se há uma pandemia, trata-se de um problema de saúde pública — portanto, cabe ao Poder Público orientar…
D) Se não o faz, ou o faz de modo contraditório, continuamos nessa situação absurda, com suspensão de algumas atividades e de outras não.
E) O texto dessa chamada informa que “julho foi um mês de ouro para os shoppings”, por causa das férias escolares e do clima frio e chuvoso, capaz de encher lojas e cinemas.
09-A frase que reproduz uma ideia do texto de maneira gramaticalmente correta é:
A) Em 1918, com a gripe espanhola, em Curitiba, ficou proibidas as aglomerações, inclusive o acompanhamento dos enterros e a frequência a templos religiosos.
B) Estimam-se que cerca de 50 milhões de pessoas no mundo tenham sido vítima da gripe espanhola no início do século.
C) Evidentemente cabem ao Poder Público a orientação e a publicação de normas, determinando que atitudes devem ser tomadas.
D)Não seria de se espantar se muitos jornais trouxessem a seguinte manchete: “Férias lota shoppings de Curitiba”.
E) Existe divergências entre os especialistas: uns dizem que a gripe A têm gravidade e letalidade parecidas com a da gripe sazonal, outros afirmam que a situação é mais grave.
GABARITO AQUI

sexta-feira, 23 de março de 2012

CONCORDÂNCIA VERBAL - EXERCÍCIOS

CONCORDÂNCIA VERBAL
GV
01-Assinale a alternativa correta quanto à concordância verbal, de acordo com a norma culta.
A)O desperdício de matérias-primas, o estímulo ao consumismo, a obsolescência programada, tudo isso ainda dita as regras. / É preciso que se encontrem novos modelos para resolver os problemas de geração de em pregos. / Os mais pobres são os que menos vantagens obtêm com o crescimento do PIB.
B) O desperdício de matérias-primas, o estímulo ao consumismo, a obsolescência programada, tudo isso ainda ditam as regras. / É preciso que se encontre novos modelos para resolver os problemas de geração de empregos. / Os mais pobres são os que menos vantagens obtêm com o crescimento do PIB.
C) O desperdício de matérias-primas, o estímulo ao consumismo, a obsolescência programada, tudo isso ainda dita as regras. / É preciso que se encontrem novos modelos para resolver os problemas de geração de empregos. / Os mais pobres são os que menos vantagens obtém com o crescimento do PIB.
D)O desperdício de matérias-primas, o estímulo ao consumismo, a obsolescência programada, tudo isso ainda ditam as regras. / É preciso que se encontre novos modelos para resolver os problemas de geração de empregos. / Os mais pobres são os que menos vantagens obtém com o crescimento do PIB.
E) O desperdício de matérias-primas, o estímulo ao consumismo, a obsolescência programada, tudo isso ainda ditam as regras. / É preciso que se encontrem novos modelos para resolver os problemas de geração de empregos. / Os mais pobres são os que menos vantagens obtêm com o crescimento do PIB.

2- GV- ECONOMIA /12
Considerando a norma-padrão quanto ao uso ou não do sinal indicativo de crase, à concordância nominal e  verbal e à conjugação de verbo, assinale a alternativa que preenche correta e respectivamente as lacunas.
___  uma loja Olhares e saia de óculos___ Já ____   quase 90 anos trabalhando com os menores preços.
Se você ___  outra oferta igual, o produto sai de graça.
A) à … novo … são … ver
B) a … novos … é … ver
C) a … novos … são … vir
D) à … novo … são … vir
E) a … novo … é … vir

3- GV 2012
Assinale a alternativa em que a nova redação dada à frase
— Não havia um negativo, não havia nele uma dúvida... — apresenta concordância verbal de acordo com a norma-padrão do português escrito.
A) Não haviam nele sentimentos negativos nem dúvidas...
B) Não se encontrava nele sentimentos negativos nem dúvidas...
C) Não deviam haver nele sentimentos negativos nem dúvidas...
D) Não podiam existir nele sentimentos negativos nem dúvidas...
E) Não se via nele sentimentos negativos nem dúvidas...

 GV 2011
Instrução: Leia os textos para responder às questões de números 4 e 5.
O físico britânico Stephen Hawking (…) já não duvida que aliens existem. (Planeta, julho de 2010.)
O que se imagina que circula no nosso Congresso agora se torna um fato: deputados assinam projetos sem saber do que se tratam. Depois de desmascarados, nossos representantes cometem, ainda, a ousadia de  mostrarem-se dispostos a cercear o direito de a sociedade se manifestar na “casa do povo”.   (IstoÉ, 14.07.2010.
4- Examinando os trechos não duvida que aliens existem (revista Planeta) e sem saber do que se tratam (revista  IstoÉ), em face da norma-padrão da língua, pode-se afi  rmar que
A) ambos apresentam um desvio de concordância verbal, localizados respectivamente nas palavras existem e  tratam.
B) somente no primeiro é que ocorre um desvio de concordância verbal, representado pela forma existem.
C) apenas no segundo é que se observa um desvio de regência verbal, pelo emprego do termo do que se tratam.
D) ambos exibem um desvio de regência verbal, verifi  cados respectivamente nas expressões não duvida que e  do que se tratam.
E) há tanto desvio de regência, em não duvida que, quanto de concordância, em do que se tratam.
5 - A construção não duvida que aliens existem exige, de acordo com a norma-padrão da língua, o uso de um modo  verbal distinto do utilizado em existem. O modo verbal adequado para essa construção e a forma devidamente flexionada são, respectivamente,
A) imperativo — existissem.                 D) subjuntivo — existirão.
B) subjuntivo — existam.                     E) imperativo — existam.
C) indicativo — existiriam.
- GABARITO
1-A
2-C
3-D
4-E
5-B

segunda-feira, 19 de março de 2012

PRONOME - EXERCÍCIOS






PRONOME-EXERCÍCIOS
01-INSPER


O que motivou o apito do juiz foi
a) a necessidade de empregar a ênclise para seguir a norma-padrão.
b) o uso de um objeto direto no lugar de um objeto indireto.
c) a opção pelo pronome pessoal oblíquo “o” em vez de “a”.
d) a obrigatoriedade da mesóclise nessa construção linguística.
e) a transgressão às regras de concordância nominal relacionadas ao pronome.

02-INSPER
Assinale a alternativa em que o pronome relativo foi empregado corretamente:
a) São inúmeros os serviços que se tem acesso nessa empresa.
b) Não foram poucos os problemas a que nos levaram estes desatinos da juventude.
c) Os bons resultados a que a empresa atingiu devem-se ao empenho dos funcionários.
d) Eis os documentos os quais aludimos na última reunião da empresa.
e) Eis as mulheres em quem confiamos todo o nosso patrimônio..

03-GV
Assinale a alternativa em que a nova posição dos pronomes átonos, na frase reescrita, está de acordo com a norma-padrão do português escrito.
A) A respeitosa atitude de todos e a deferência universal que cercavam-no...
B) As obscuras determinações das coisas acertadamente o haviam erguido até ali.
C) Ele julgava-se e só o que parecia-lhe grande entrava nesse julgamento.
D) ... uma chusma de sentimentos atinentes a si mesmo que quase falavam-lhe.
E) As obscuras determinações das coisas, acertadamente, mais alto levariam-no.

04-INSPER
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas.
• Deu-me alguns motivos ________ me pareciam inconsistentes.
• As informações ________ dependo são sigilosas.
• Lembro-me ________ ele só usava camisas brancas.
• Feliz do pai ________ filhos são ajuizados.
•Vivemos um momento ________ os graves problemas econômicos impedem uma maior mobilidade social.
a) cujos, nas quais, de que, cujo os, no qual
b) que, das quais, de que, cujos, em que
c) os quais, de que, que, o qual, onde
d) que, de que, que, cujos, onde
e) dos quais, de que, que, de cujos, no qual

05 GV  
Eu lia o meu livrinho quando a sucessão de gritos –“ahhh”… “ehhh”… – picotou a noite de domingo. A impressão que tive foi de alguém sendo esfolado no andar de cima. Não fui o único a saltar da poltrona, assustado, tentando descobrir de onde vinha aquela esganiçada voz feminina: no meu prédio e no que fica ao lado, meia dúzia de pescoços se insinuaram na moldura das janelas enquanto o alarido – “ihhh”… “ohhh”… – prosseguia.
(Humberto Werneck. O espalhador de passarinhos.)

Observando o emprego do pronome relativo que, nas duas ocorrências grifadas no fragmento, é possível afirmar:
a) na primeira ocorrência, substitui um objeto direto; na segunda, vem no lugar de um sujeito.
b) em ambos os casos, a relação que estabelece é de simples e objetiva coordenação.
c) na primeira ocorrência, trata-se do sujeito da ação; na segunda, de um adjunto adverbial.
d) na primeira ocorrência, há uma relação de posse; na segunda, de referência ao receptor da ação.
e) em ambos os casos, a palavra não exerce função sintática, mas de simples realce.
GV – Texto para as questões 6 e 7
6- Assinale a alternativa que interpreta corretamente o emprego dos pronomes possessivos destacados nas passagens do segundo parágrafo.
A) Os dois primeiros fazem referência ao personagem descrito; os dois últimos, a “país”.
B) Os dois primeiros fazem referência ao personagem descrito; os dois últimos, a “agente e  caz”.
C) Todos os pronomes fazem referência ao personagem descrito.
D) Os dois primeiros fazem referência ao enunciador do texto (o narrador); os dois últimos, ao personagem que aquele descreve.
E) Os dois primeiros fazem referência ao enunciador do texto (o narrador); os dois últimos, a “povos”.
07- Assinale a alternativa em que a nova posição dos pronomes átonos, na frase reescrita, está de acordo com a norma-padrão do português escrito.
A) A respeitosa atitude de todos e a deferência universal que cercavam-no...
B) As obscuras determinações das coisas acertadamente o haviam erguido até ali.
C) Ele julgava-se e só o que parecia-lhe grande entrava nesse julgamento.
D) ... uma chusma de sentimentos atinentes a si mesmo que quase falavam-lhe.
E) As obscuras determinações das coisas, acertadamente, mais alto levariam-no.

08-GV
A última nota solta
A habilidade dos governantes da Bruzundanga é tal, e com tanto e acendrado carinho velam pelos interesses da população, que lhes foram conados, (I) que os produtos mais normais à Bruzundanga, mais de acordo com a sua natureza, são comprados pelos estrangeiros por menos da metade do preço (II) pelo qual os seus nacionais os adquirem.
(Lima Barreto. Os bruzundangas. Porto Alegre: L&PM, 1998, p. 213.
Os pronomes que e  lhes, da oração — que lhes foram conados —, fazem referência, respectivamente, às  palavras:
A) habilidade dos governantes; interesses da população.
B) carinho; habilidade dos governantes.
C) população; Bruzundanga.
D) interesses da população; governantes da Bruzundanga.
E) acendrado carinho; governantes.

8) Preencha com o pronome relativo adequado


A)     Vi a moça ____________tu gostas. 
B)       Vi o país _____________ tu vais.                 
C)      Tenho tudo ____________ quero. 
D)      Vi a moça ______________ tu amas. 
E)      Vi o país _____________ tu vens. 
F)       Eis o livro ______________ gostei. 
G)     Vi o país _____________ tu moras.   
H)      Falou tudo _______________ quis. 
I)         O modo ______________ agiu foi sincero. 

J)         Ela viu a mãe do aluno ___________ ela gosta. 


terça-feira, 13 de março de 2012

INTERPRETAÇÃO DE TEXTO - ITA

 
Texto para as questões de 1 a 9



01  
Todas as opções abaixo estão respaldadas no texto.
Assinale a que contém a ideia central.
a) O transporte público exige medidas técnicas e administrativas, além de cuidado com a paisagem urbana.
b) As pessoas contrárias à instalação da estação do metrô são movidas por preconceito.
c) Os paulistanos constroem o espaço onde vivem de modo a se isolarem das adversidades sociais.
d) As experiências de transporte público de outras cidades poderiam ser adotadas em São Paulo.
e) A instalação de linhas de ônibus e de metrô deve propiciar o desenvolvimento da área em que se encontram.
02 -
O fato de parte de moradores de Higienópolis recusar a instalação de uma nova estação de metrô na avenida Angélica é justificável, uma vez que
a) o isolamento em condomínios fechados é preferível para eles.
b) o poder público não desmentiu a possível degradação do espaço público com a instalação do metrô.
c) a chegada de transporte de massas não traria melhoria para a região.
d) não há público para o uso dessa linha de metrô.
e) eles usam mais seus carros e não necessitam do metrô.
03
Leia os seguintes enunciados:
I. Partindo de um fato noticioso – a reação de
moradores diante da intenção da Prefeitura de São
Paulo em construir uma estação  do metrô na avenida
Angélica –, o autor questiona a eficiência do transporte público na cidade.
II. Para o autor, a valorização do transporte coletivo urbano está atrelada a aspectos estruturais e arquitetônicos das estações de metrô e pontos de ônibus.
III. A informação sobre o número de habitantes da cidade de Istambul e a comparação do Brasil com a Turquia permitem que o leitor avalie a possibilidade de iniciativas para a melhoria do transporte coletivo em São Paulo.
Está correto o que se afirma apenas em
a) I e II.
b) I e III.
c) II.
d) II e III.
e) III.
04
Assinale a opção que NÃO se pode pressupor do texto.
a) O transporte de massas em São Paulo pode degradar a paisagem urbana.
b) Os pontos de ônibus do corredor da Rebouças dificultam o trânsito.
c) Em Istambul, as estações de monotrilho não reduziram os espaços para os carros.
d) Numa cidade de 16 milhões de habitantes em um país emergente não se espera o cuidado com os abrigos, bancos e iluminação.
e) A criação de corredores de ônibus bem asfaltados e servidos por diversas linhas é condição necessária, mas não suficiente.
05
No texto, o segmento que NÃO expressa uma avaliação do autor é
a) [...] à parte o gosto exacerbado dos paulistanos por levantar muros [...] (linhas 8 e 9)
b) [...] a avenida ficou menos tétrica, quase bonita. (linha 28)
c) [...] a imagem do engarrafamento e da bagunça vira um desastre de relações públicas. (linhas 31 e 32)
d) Em Istambul, monotrilhos foram instalados no nível da rua, como os “trams” das cidades alemãs e suíças. (linhas 33 a 35)
e) Se forem como os antigos bondes, ótimo. (linhas 47 e 48)
06
No texto, “gente diferenciada” é equivalente a
a) Brasil real. (linha 10)
b) poder público. (linha 10)
c) relações públicas. (linha 32)
d) motoristas. (linha 40)
e) moradores. (linha 45)
07 Em sentido amplo, a relação de causa e efeito nem sempre é estabelecida por conectores (porque, visto que, já que, pois etc). Outros recursos também são usados para atribuir relação de causa e efeito entre dois ou mais segmentos. Isso ocorre nas opções abaixo, EXCETO em
a) [...] a abertura de uma estação de metrô na avenida Angélica traria “gente diferenciada” ao bairro. (linhas 2 a 4)
b) [...] a escuridão afugenta pessoas à noite [...]. (linhas 22 e 23)
c) A instalação de linhas de monotrilho ou de corredores de ônibus precisa vitaminar uma área [...]. (linhas 25 e 26)
d) Quando as grades da Nove de Julho foram retiradas, a avenida ficou menos tétrica [...]. (linhas 27 e 28)
e) [...] a imagem do engarrafamento e da bagunça vira um desastre de relações públicas. (linhas 31 e 32)
08
A possível instalação de uma estação do metrô na avenida
Angélica e a reação por parte de moradores de Higie -
nópolis gerou muita polêmica e manifestações, que fo -
ram veiculadas na mídia impressa e virtual. Assinale a
opção, cuja manifestação NÃO constitui uma ironia.
a) “Só ando de metrô em Paris, Nova York e Londres”(cartaz que integrava uma manifestação contra a mudança da futura estação do metrô da avenida
Angélica para a avenida Pacaembu).
b) “Nós queremos o metrô sim. Mas ele tem que ser condizente com o nível do bairro. Portanto, exigimos uma ligação direta com Alphaville, Morumbi e Veneza, na Itália.” (frase de um participante de uma manifestação contra a mudança da futura estação do metrô da avenida Angélica para a avenida Pacaembu).
c) “É tão fácil resolver problema, gente: faz uma entrada social e uma de serviço.” (Luísa Tieppo, no Twitter)
d) “Eu não uso metrô e não usaria. Isso vai acabar com a tradição do bairro. Você já viu o tipo de gente que fica ao redor das estações do metrô? Drogados, mendigos, uma gente diferenciada...” (moradora de Higienópolis,
em reportagem da Folha, 13/08/2010).
e) “Não se esqueçam dos sacos de lixo. Somos diferen ciados, mas somos limpinhos” (convite virtual divulgado no Facebook para o “Churrascão da Gente Diferenciada”, uma manifestação contra a mudança da futura estação do metrô da avenida Angélica para a avenida Pacaembu).
09
Considere as correlações entre o  Texto 1  e a tirinha exposta abaixo.

http:/novacharges.wordpress.com
I. O personagem que fala tem uma postura semelhante à de parte de moradores de Higienópolis em relação às pessoas que representariam a “gente diferenciada”.
II. Os personagens que se encontram fora do carro no segundo quadro corresponderiam à “gente diferenciada” a que se refere parte dos moradores de Higienópolis.
III. No  segundo quadro, o carro seria comparável aos muros e fortalezas que separam parte dos moradores de Higienópolis do “Brasil real”.
Estão corretas:
a) I e II, apenas.
b) I e III, apenas.
c) II, apenas.
d) II e III, apenas.

Turma do MARIO Dica para conjugar 5 verbos terminados em -iar que diferem dos demais com a mesma terminação. M ediar A nsiar ...