quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Emprego da letra A


Emprego da letra "A" como artigo definido e pronome pessoal.

Emprego da letra A na frase de Confúcio.

A preguiça anda tão devagar, que a pobreza facilmente a alcança.
Confúcio
A como "artigo definido" determinando substantivo em: ( A preguiça)( a pobreza)
A como pronome pessoal oblíquo átono, retomando o substantivo PREGUIÇA em ( facilmente a alcança).

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

CRASE ANTES DE TERRA E CASA




A CRASE ANTES DAS PALAVRAS TERRA E CASA
_________________________________________________
NÃO Se Acentua o “A” antes de terra quando a palavra é antônimo de mar", isto é, quando designa "terra firme". Isso se dá porque a palavra terra não admite artigo:
Os marinheiros ansiavam por descerram a terra(firme)
 Deixei o navio e fui a terra. (firme)

Em qualquer outro caso, inclusive o planeta Terra, a palavra “TERRA” admite o artigo definido. Portanto, somando-se a preposição A com o artigo A, ocorrerá crase:
 Ainda voltarei à terra dos meus avós.
  O exilado desejava voltar à terra natal.
  O astronauta retornou à Terra.( planeta sempre com inicial maiúscula)
  Voltou à terra onde aprendeu as primeiras letras.
 O lavrador tem apego à terra.

Não Se Acentua o “a” Antes de Casa quando se tratar de sinônimo de  "lar, domicílio, morada". Neste caso, casa não admite artigo a.
Não estou em casa.
   Chegou cedo a casa .
 Voltei a casa  para apanhar os documentos do carro.
OBSERVAÇÃO:
 Se a palavra CASA estiver acompanhada de adjetivo ou locução adjetiva, use a crase:
  Chegou cedo à casa da namorada.
  Fui à casa de João.
Acentua-se qualquer outra casa quando CASA não significa lar, domicílio: 
 O presidente americano regressou à Casa Branca. 
 Chegou à casa dos noventa anos com muito vigor.   Fui à Casa dos Rosas na Avenida Paulista.
_____________________________________

Para maiores informações a respeito de o assunto ver: Adriano da Gama Kuri, Ortografia, Pontuação, Crase.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Motivo - Cecília Meireles



Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:

— mais nada.

domingo, 8 de janeiro de 2017

Desenganos da vida metaforicamente



Desenganos da vida metaforicamente
É a vaidade, Fábio, nesta vida,
Rosa, que da manhã lisonjeada,
Púrpuras mil, com ambição dourada,
Airosa rompe, arrasta presumida.
É planta, que de abril favorecida,
Por mares de soberba desatada,
Florida galeota empavesada,
Sulca ufana, navega destemida.
É nau enfim, que em breve ligeireza
Com presunção de Fênix generosa,
Galhardias apresta, alentos preza:
Mas ser planta, ser rosanau vistosa
De que importa, se aguarda sem defesa
Penha a nau, ferro a planta, tarde a rosa?

(Gregório de Matos)
" Vaidade das vaidades, diz o pregador; tudo é vaidade" 
Elesiastes 1:2
Traçando paralelo com  o Eclesiastes, Gregório de Matos evidencia a efemeridade da vida, bem como sua vaidade. A Rosa, a Planta e a Nau podem ser comparadas com o nascimento , a juventude e a velhice, tudo num só dia!
Veja o questionamento na última estrofe:
"De que importa"
Trata-se de tema recorrente no Arcadismo e no Barroco sobre a fugacidade da vida, ou seja, só existe o HOJE.
Vocabulário:
  • Airosa = esbelto, gracioso
  • Soberba = orgulho, altivez
  • Galheota = pequena embarcação a remo, usada para o transporte do rei.
  • Presumida = vaidosa
  • De abril favorecida = favorecida pela primavera que inicia em abril na Europa.
  • Empavesado = enfeitado, adornado, guarnecido de paveses (=proteção nas embracações)
  • Ufana = que se orgulha de algo, vaidoso
  • Fênix = divindade da mitologia egípicia, símbolo da imoertalidade, personificada em uma ave que renascia das próprias cinzas.
  • Galhardia = garbo, elegância
  • Aprestar = preparar com prontidão
  • Alento = sopro, bafejo
  • Penha = penhasco, rochedo
Fonte da Poesia e Vocabulário: 
PLATÃO & FIORIN. Para entender o texto: leitura e redação. 2.ed. São Paulo: Ática, 1997.

Ortografia- maiúsculas e minúsculas

CAIXA-ALTA

Há certa confusão em torno da expressão " caixa-alta".
Caixa-alta não é o mesmo que todas em maiúsculas.

Entre outras situações, podemos empregar "todas em maiúsculas" quando queremos destacar alguma expressão ou ressaltar a formatação do texto.


Emprego das Iniciais maiúsculas ( ou caixa-alta) e minúsculas( caixa-baixa)

1) Utiliza-se inicial maiúscula:

a) No começo de um período, verso ou citação direta.

Exemplos:

Disse Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida."

“Penetra surdamente no reino das palavras.
Lá estão os poemas que esperam ser escritos.
(...)
Chega mais perto e contempla as palavras.
Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra
e te pergunta, sem interesse pela resposta,
pobre ou terrível, que lhe deres:
"Trouxeste a chave?"
Carlos Drummond de Andrade

b)Substantivo próprio.
Maria Pereira, Branca de Neve .

c) Nome de locais ( país, estado, cidade, bairro, ruas, avenidas).
São Paulo, Itapira, Jardim Magali.
d) Nos nomes de festas e festividades.
Exemplos:
Natal, Páscoa, Festa da Primavera.

e Em siglas ou abreviaturas internacionais.

Exemplos:
FGTS, Sr., V. Ex.ª.
f. Nomes comuns tornados próprios ou citados com a devida importância . Exemplo:

"Busque Amor novas artes, novo engenho,
para matar-me, e novas esquivanças;
que não pode tirar-me as esperanças,
que mal me tirará o que eu não tenho."
Camões


2) Utiliza-se inicial minúscula( ou caixa-baixa):

a) Substantivos comuns.

Exemplos:
menino, mãe, dia, bola, casa, etc.

b) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana.

Exemplos:
janeiro, março, setembro, etc.
quarta-feira, domingo, etc.
primavera, verão, outono, inverno

Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta, usa-se letra minúscula.

Uso facultativo.
c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e disciplinas. c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e disciplinas.
Exemplos:
Português ou português
Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas modernas
História do Brasil ou história do Brasil
Arquitetura ou arquitetura
Observação:

Os nomes de cargos, postos ou dignidades hierárquicas, sejam quais forem os respectivos graus, assim como os vocábulos que designam títulos, qualquer que seja a importância destes, escrevem-se, em regra, com minúscula inicial.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

ERROS DE CONCORDÂNCIA VERBAL E CRASE

O conteúdo é verdadeiro, mas há erros quanto à norma culta da língua portuguesa
Justificativa:

1. CONCORDÂNCIA VERBAL: pessoas que não ACEITA. O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.( sujeito no plural, verbo no plural)

2. CRASE INDEVIDA:  aceitar é transitivo direto, não necessita de preposição, portanto , o A é artigo, portanto, não ocorre crase.


3. CRASE INDEVIDA: não ocorre crase antes de artigo indefinido.

Corrigindo:
 ACEITAM A VERDADE... A UMA PESSOA.

sábado, 19 de novembro de 2016

Pense nisto

Pense nisto:

Falar muito nem sempre
É falar demais
 Mais é mais
Mas é porém
Mau não é bom
Mal não é bem
Às vezes não são as vezes           
Assim como à francesa não é a francesa
E bater à porte mais suave do que
Bater a porta...


Remorso






De uma profundidade ímpar, este soneto de Bilac nos faz pensar nas oportunidades que deixamos passar; nas decisões que poderíamos ter tomado, mas não fizemos nada... Covardia? cuidado? medo das consequências? não sei...

Remorso

Às vezes, uma dor me desespera...
Nestas ânsias e dúvidas em que ando.
Cismo e padeço, neste outono, quando
Calculo o que perdi na primavera.

Versos e amores sufoquei calando,
Sem os gozar numa explosão sincera...
Ah! Mais cem vidas! com que ardor quisera
Mais viver, mais penar e amar cantando!

Sinto o que desperdicei na juventude;
Choro, neste começo de velhice,
Mártir da hipocrisia ou da virtude,

Os beijos que não tive por tolice,
Por timidez o que sofrer não pude,
E por pudor os versos que não disse!

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Acento obrigatório

Acentuação gráfica
Questão comentada
1- Assinale a alternativa cuja palavra é obrigatoriamente acentuada:
a) duvida
b) fabrica
c) musica
d) termino
Resposta aqui

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Um grão de mostarda





Um grão de mostarda para expulsar a tristeza


Uma antiga lenda chinesa fala de uma mulher cujo filho único morreu. Em sua dor, ela aproximou-se de um mestre e disse: ' De que orações ou de que encantamentos mágicos dispões para trazeres de volta a vida do meu filho?'
Em vez de mandá-la embora ou argumentar com ela, ele lhe disse: “ Traga-me um grão de mostarda de um lar que jamais conheceu a tristeza. Nós o usaremos para expulsá-la de sua vida”.
A mulher partiu de imediato em busca do grão mágico de mostarda. Primeiro, dirigiu-se a uma esplêndida mansão, bateu à porta e falou: “ Estou procurando uma casa que nunca conheceu a tristeza. Esta casa é uma delas? É muito importante para mim!
'Responderam-lhe:
- Vieste ao lugar errado. E começaram a descrever-lhe os acontecimentos trágicos que recentemente pelos quais haviam passado. A mulher pensou consigo mesma: quem é capaz de ajudar esses infelizes melhor do que eu, que tive minhas próprias desgraças? E demorou-se algum tempo confortando-os.
Em seguida, prosseguiu em sua busca. Porém,  em todos os lugares, nas choupanas ou nos palácios, ela só encontrava histórias de tristeza e desgraças. Ao final, ela se envolveu tanto em amenizar a dor das outras pessoas que esqueceu a busca da semente de mostarda, não percebendo que acabara por expulsar a tristeza de sua vida e da vida da maioria das pessoas.

 Texto adaptado de algumas versões que circulam pela internet.